CURSO TÉCNICO EM PRÓTESE DENTÁRIA

O QUE FAZ UM TÉCNICO EM PRÓTESE DENTÁRIA?

 

Uma ideia, que ainda se encontra enraizada na mente da maioria das pessoas é a de que o protético é o profissional responsável pela confecção de próteses dentárias, as populares dentaduras. No entanto, o TPD tem outras responsabilidades.

 

Basicamente, o protético trabalha “nos bastidores” do cirurgião-dentista, sendo um profissional de extrema importância na restauração da autoestima e funções mastigatórias dos pacientes. Além do desenvolvimento das próteses móveis e fixas, o técnico trabalha também na confecção de pontes, aparelhos ortodônticos, coroas, lentes de contato dentais, facetas de porcelana, entre outros itens.

 

Ou seja, o técnico em prótese dentária não tem contato algum com os pacientes. Isso porque seu cliente é, na verdade, o cirurgião-dentista.

 

Esse trabalho em conjunto é essencial para que o tratamento ocorra da melhor forma possível.

 

COMO POSSO ME TORNAR UM PROTÉTICO?

 

Para que alguém possa exercer a profissão é necessário que ela conclua um curso de Técnico em Prótese Dentária. O curso aborda temas como fundamentos da ortodontia, morfologia, anatomia dental e da oclusão, entre outros. 

 

O curso é ministrado por profissionais qualificados da área que orientam os alunos através dos módulos, até a conclusão do curso que inclui estágios supervisionados. A missão dos professores é formar profissionais qualificados e capacitados para o mercado de trabalho.

 

O QUE SE APRENDE NO CURSO TÉCNICO EM PRÓTESE DENTÁRIA?

 

No curso Técnico em Prótese Dentária o aluno é preparado para desenvolver dentaduras, blocos de porcelana, prótese parcial removível, aparelhos protéticos e ortodônticos, entre outros. Durante o curso, o aluno poderá se aprofundar em diferentes temas que envolvem as técnicas protéticas.

 

É NECESSÁRIO ALGUM REGISTRO PARA ATUAR?

 

Para exercer a profissão, o Técnico em Prótese Dentária precisa se inscrever no Conselho Regional de Odontologia (CRO) do seu Estado.

 

COMO É O MERCADO DE TRABALHO?

 

Segundo dados do Conselho Federal de Odontologia (CFO), aproximadamente 20 mil profissionais trabalham nos 7.000 laboratórios espalhados pelo país.

 

A demanda por pessoas capacitadas na área é grande. Segundo uma pesquisa de 2018 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, o país tem 39 milhões de pessoas que já perderam parte dos dentes, se não todos, e usam próteses dentárias.

 

O problema é tão sério que afeta também os jovens, além dos idosos (a população que mais sofre com isso). Um em cada cinco brasileiros de até 25 anos tem uma prótese dentária.

 

É por isso que escolher uma profissão capaz de mudar este cenário e transformar a vida de muitas pessoas é algo muito especial. Já parou para pensar nisso?

 

Todo mundo merece um sorriso saudável e bonito. O técnico em prótese dentária pode ajudar muitas pessoas a conquistar isso, construindo sorrisos e devolvendo a autoestima.

 

A grande demanda atual da estética corporal e bucal faz com os serviços do TPD sejam cada vez mais requisitados.

 

ONDE É POSSÍVEL TRABALHAR COMO TÉCNICO EM PRÓTESE DENTÁRIA?

 

Embora o laboratório seja o primeiro lugar que vem à mente ao pensar na profissão, existem outras possíveis atuações no mercado de odontologia:

 

Consultoria / vendas: nesta alternativa, o trabalho ocorre entre os pares. Ou seja, os técnicos em prótese dentária orientam no pós-venda e apresentam novidades do setor para seus colegas. Por exemplo: trabalhar em laboratórios (próprios ou não), prestar serviços para diversas clínicas e laboratórios, trabalhar em consultórios dentários trabalhar em hospitais bucomaxilo;

 

Indústria: já pensou em trabalhar no desenvolvimento de equipamentos e materiais específicos para a confecção de próteses dentárias? Nesse caso, fábricas especializadas serão possíveis locais de atuação;

 

Educação: se você quer compartilhar conhecimento, pode investir na carreira de educação e dar aulas em cursos técnicos profissionalizantes em prótese dentária. Por exemplo: promover cursos, congressos e dar aulas.

 

Empreendedorismo: que tal abrir seu próprio laboratório? A opção requer investimento e noções de administração, mas pode se tornar muito rentável ao longo dos anos.

 

SALÁRIO

 

A remuneração inicial para aqueles que desejam trabalhar como funcionários de um laboratório costuma ser o equivalente a um salário mínimo federal, segundo entidades sindicais que representam a categoria no Brasil. Contudo, este valor pode aumentar graças às comissões pagas pelos laboratórios. Isso mesmo: em geral, técnicos em prótese dentária recebem uma porcentagem por cada serviço realizado. Portanto, quanto maior for a produção diária, mais chances de “engordar” o rendimento no fim do mês.

 

Outra possibilidade é ser dono do próprio laboratório, exercendo a sua profissão de forma liberal, o que pode proporcionar uma ótima renda.